Arquivos de Posts

Você procurou pela tag "moda praia"

PRAIA PENSADA EM CINCO LIÇÕES

1.
Não é porque é praia e férias que a gente perde personalidade, deixa de ser quem é no resto do ano ou pode se permitir estar feia. A desculpa de que ‘as coisas velhinhas do guarda-roupa podem ser usadas na praia’ é furada! Se no dia-a-dia a gente escolhe o melhor que o nosso orçamento pode comprar, porque seria diferente com as férias – já que a dona do orçamento é a mesma pessoa, e se ama na praia tanto quanto na cidade?

2.
Guarda-roupa de praia também diz muito da personalidade de quem usa, e mesmo que usado por pouquinho tempo merece ter qualidade – porque toca a nossa pele, porque vive momentos tão gostosos com a gente, porque vai acompanhar a gente nas fotos que são sempre as preferidas pra por no porta retratos – é ou não é?!??

3.
Tudo é identidade: saída que cobre o corpo todo ou saída shortinho/sainha (com barriga de fora!), saída justinha ou saída folgadona, chapéu de tecido ou chapéu de palha dourada, abas curtinhas e dobradas ou abas largas com lenço, chinelinho com pedras ou chinelo de borracha, óculos coloridos ou óculos com armação em metal, bolsa de nylon ou sacola de vinil, bolsa molenga ou bolsa mais durinha… tudo isso tem relação com sofisticação, informalidade, despojamento, feminilidade, originalidade – já parou pra pensar nos elementos  que escolhe pra compor o conjunto da aparência na praia? E de como um elemento compensa/equilibra o outro?

4.
Não tem como ter praia sem água salgada, areia, vento e calor. Então cabelo, pele e o que tá em volta tem que ser pensado/preparado. Bom ter à mão pauzinhos fofos de fazer coque, fivelas bacanas, tiaras e grampinhos, né? Filtro solar que já vem com pigmento e que funciona meio como base são os melhores amigos da “pele boa na praia” – de resto (na opinião da Oficina) maquiagem funciona melhor de banho tomado!

5.
Acessório de praia é acessório prático, que não atrapalha nem na hora de tomar sol ou entrar na água – e tem um tipo de praticidade pra cada estilo, né? O que não rola é tamanho grande demais, muito brilho, muita coisa junta, poluição visual. A gente curte bolsa bacanérrima, sandália fuefa, mini-brinquinho, mini-colarzinho, relógio bacana no máximo… e só.

Mas e vocês, o que acham? Pensam no aparato praiano desse jeito? Consideram personalidade? Têm essa mania de deixar as coisas velhas pra praia (quem não tem né?)??? Tem lições dessas pra acrescentar? Vamos nos preparar juntas? ;-)

Tags: , , , , 05.01.2012 - 10:10 | Postado por Fernanda Categorias: moda e consultoria 34 Comentários

BIQUÍNI & CIA

Chega o fim do ano e é inevitável a gente começar a pensar em festas, presentes, férias, viagens… Nessa época quase todo mundo aproveita os feriados pra escapar um pouco. E a gente começa a enxergar nosso guarda-roupa de um jeito diferente – dá vontade de se vestir com roupas de férias, sabe como!?

Férias sempre tem espaço pra praia, clube, cachoeira e até piscina do prédio, né!?! E biquinis e maiôs acabam virando as peças mais importantes do armário, mas sempre dá uma duvidazinha do que usar COM biquinis e maiôs.

A gente adora vestidos e macaquinhos de malha ou algodão bem fininhos porque ficam super adequados pra continuar usando mesmo depois do banho de sol – é só trocar as havainas por uma rasteira bem linda e dá pra ir no restaurante, no shopping, no cinema, no churrasco… Caftans, camisões e túnicas longas também funcionam, mas são um pouquinho mais dramáticas!!!

praia1.jpg

Shorts ou bermudas mais curtas e em tecidos leves ficam fofos com camisetas larguinhas ou batas mais longas. Dá pra se vestir de um jeito super bacana mesmo com as pecas mais informais, por isso que, assim como no caso do homewear, o ideal é investir em um conjuntinho de peças que sempre funcionem com os nossos biquinis – não vale usar roupas velhas que a gente não consegue mais usar pra trabalhar ou sair!!!

Do mesmo jeito que tem o biquini certo pra cada corpo, tem a “saída de praia” certa pra cada estilo!!! Shorts e macaquinhos de plush são mais práticos e confortáveis, batas e túnicas transparentes são mais femininas, vestidos estampados são mais divertidos… só cuidado na hora de fazer conjuntinhos – tipo vestido da mesma estampa do biquini – que acaba ficando tão careta. É bem mais legal (pra quem curte) fazer coordenação de estampas diferentes!!!

praia2.jpg

Sacolas grandes de tecido ou materiais impermeáveis são perfeitas e nelas a gente pode carregar uma rasteira mais arrumadinha (pro “pós-praia”), uma canga bem bonita pra gente deitar ou sentar em cima e nossos óculos escuros favoritos que vão deixar o look verão com a nossa cara!!!

Tags: , , , , , , 16.12.2011 - 00:11 | Postado por Cristina Categorias: moda e consultoria 23 Comentários

VEM CHEGANDO O VERÃO

No verão, na praia, quem mais aparece é o corpão – bem mais que qualquer micro pedacinho de lycra que a gente use (pra tentar disfarçar os milkshakes do ano todo!). A gente sabe que relação tipo de biquíni x corpo é guiada pela auto-estima e pelo carinho que a gente tem pelo próprio corpo: pensa na mulherada do RJ, sortida de silhuetas usando os menores biquininhos do mundo! Mas tudo bem, mesmo tendo pouco pano (!!!) pra ajudar, tem coisas que – na teoria – prometem não só ter efeitos ótimos na silhueta, mas também confortam o coração de quem experimenta. :) Então vamos lá:

Quem tem quadril maior e peitinho pequeno pode escolher partes de cima mais chamativas que partes de baixo, com pregas, recortes, estampas, cores mais vivas e mais claras e todo tipo de detalhe, tipo bordados, babados, aplicações e brilhinhos – e vale cortininha, frente única e tomara que caia. As partes de  baixo podem ser mais discretas, em cores neutras, sóbrias e mais opacas. A calcinha pode ter a lateral mais espessa e pode até ter faixinhas pra amarrar – mas as faixas não podem ser tão finas que cortem a lateral do corpo e formem uma explosão de carninha extra em cima e embaixo do laço.

Quem tem peitão e quadril menor pode fazer tudo ao contrário: partes de baixo mais chamativas e com mais detalhes e cores e formas, e partes de cima mais calmas. Atenção para as alças, que podem ser mais largas pra sustentar melhor os seios – ao mesmo tempo, atenção para marquinhas que restrinjam determinados decotes (que marca de biquíni aparecendo é bem bem beeem deselegante, viu?). O bojo do top tem que cobrir/acomodar com conforto os seios, sem apertar demais ou deixar gordurinhas sobrando dos lados (de fora) do bojo. E pra essas, os modelos meia-taça e frente-única são os mais certeiros.

E em maiôs, o ideal é que a cava não seja tão alta que o modelo pareça vindo direto dos anos 80, tipo asa-delta. Também não precisa ser tão baixa que o maiô pareça um macaquinho: na medida do possível (e do digno!), quando mais alta a cava for, mais longa a perna parece. Direções de larguras e alças e decotes funcionam como as dos biquínis.

A Oficina de Estilo conversou sobre isso daí no programa Vamos Combinar da Mariana Weickert no GNT há alguns dias, ó que orgulho! O vídeo tá aqui em cima e o que foi editado na versão televisionada mas tá aqui (por que é o mais importante!!!) é o seguinte: roupa nenhuma – muito menos biquíni! – faz a gente perder quilos, ou ganhar centímetros em altura, ou qualquer modificação real do tipo; roupa faz a gente se enxergar com mais amor. Tem que se curtir, se permitir e desencanar um tanto de padrões e exigências irreais – pra dar espaço pra curtição e pra disposição de viver a melhor vida que a gente pode… especialmente na praia!

Mais: quem sabe tudo tudo tudo de biquíni bom, pra mil silhuetas diferentes, é Gustavo Sarti – aquele moço do Biombo da Moda do Gugu (rá!). A gente fica passada com a “mágica” dele. De verdade!

Tags: , , , , , 15.12.2011 - 07:00 | Postado por Fernanda Categorias: moda e consultoria 18 Comentários

MODA PRAIA NA VIDA REAL

O Brasil turístico é conhecido por suas belas praias e o Brasil fashion é reconhecido por sua moda-praia. E como estamos na temporada de verão, biquínis e maiôs ganham as passarelas carregados, sempre, por um super corpão (Brasil né!). Mas para além da sensualidade da mulher brasileira, a moda praia made in Brasil tem tudo pra extravasar muito além mar.

A cada estação, mais e mais modelagens incríveis transformam pequenos pedaços de tecido em lindas peças que, cuidadosamente coordenadas, podem ganhar as cidades em produções muito usáveis. Vale maiô com calça, maiô com saia, maiô por baixo de transparência, maiô por baixo de terceira peça. O truque é deixar que ele faça a sua parte na composição (a porção sensualzinha/feminina que cabe a cada produção), ficando pro resto o urbano e o mais fechado como obrigação. E olha, de verdade, sabendo usar direitinho, dá até pra coordenar moda praia com peças quase improváveis tipo calças alfaiataria, jaquetas estruturadas, bermudas e até paletós.

A linha de raciocínio é mais ou menos assim: se o desejo é montar um visual um pouco mais pesado, o maiô pode acompanhar partes de baixo mais estruturadas e sapatos menos delicados – alô calças saruel, bermudas, saias longas, jaquetas, botas, mocassins, oxfords; se a idéia é fazer uma linha mais mulherzinha, tecidos levinhos e sandálias mais abertas (ou rasteirinhas) são as peças mais indicadas – tipo sainhas plissadas, coletes, shorts e bermudas em seda, espadrilhas. Mas tudo pode acontecer. Se a situação é um dia quente de verão (e a elegância o dresscode sugerido no convite), por que não coordenar uma peça bafo (como uma pantalona ou um terninho mais modernoso, por exemplo), com um maiô tão sofisticado quanto? Segredo pra assegurar elegância é coordenar cores com esperteza, escolher materiais/acessórios refinados pra acompanhar o pequenino maiô e caprichar no cabelo e na maquiagem.

Até o verão chegar tem tempo tem de sobra para que a idéia seja assimilada, estudada, testada e aprovada. O sucesso tá garantido de todo jeito: em satisfação por versatilizar o armário (!!!) e em elogios por que olha, usar maiô na vida real assim, como quem não quer nada, além de espertinho é muito muito sexy!

Essa é uma reedição-atualizada de um post antigo, idealizado e escrito tempos atrás pela Tati Rodrigues e ilustrado pela Cacau Araújo! Orgulhos dessa Oficina! ;-)

Tags: , , , 13.07.2011 - 00:08 | Postado por Fernanda Categorias: moda e consultoria 5 Comentários

A “LINGERINIZAÇÃO” DA PRAIA (E DA VIDA)

Os significados que o dicionário dá pra ‘íntimo’ são: muito de dentro, profundo; da alma, do coração; doméstico, familiar; vestido diretamente sobre a pele, sob outra roupa: roupa íntima. Ou seja, nem o Aurélio consegue desligar a intimidade da roupa que a gente veste!

A gente tá vivendo um momento de muita intimidade com as outras pessoas – por conta dos blogs pessoais, de reality shows e dos twitters da vida, é normal a gente saber quando alguém tá passeando com o cachorro, ver alguém tomar banho, saber o que esse alguém pensa sobre a manchete do jornal do dia. Mesmo que a gente se relacione cada vez menos com as pessoas no “plano material” (ainda que a gente sinta por aqui um contra-movimento) – a gente tá cada vez mais íntimo no “plano digital”. Não é?

E aí, se moda é refelexo de comportamento, se é materialização de como a gente está pensando/sentindo/agindo num determinado momento, faz todo sentido pensar nessa “lingerinização” da moda. Quando a roupa íntima se revela, o que deveria estar por baixo, escondidinho, escapa ou acaba vindo à superfície – desde 2008 as passarelas tão mostrando coleções cheias de transparências, rendas, alças de sutiã e modelagens de sutiãs rendendo outras peças. A referência mais fresca – e a que mais tá impressionando a gente aqui, pro bem! – é a lingerinização da moda praia que a gente já viu/vai ver pro verão que já já vem. Se essas referências todas já tão quase banalizadas na roupa de todo dia, nos biquínis e maiôs elas aparecem espertamente pra supreender com uma imagem super feminina… e elegante! (Mesmo pra praia, não é demais?)

“Lingerie aparente” pode inspirar alguma vulgaridade, mas quando biquínis se apropriam de tecidos lustrosos (pensa em lycra) e cores neutras/tons de pele (todo mundo tem que ter conjuntinhos “básicos” na gaveta de calcinhas e sutiãs, né?), o resultado é bem sofisticado – tá vendo aqui em cima nas fotos de Adriana Degreas e Rosa Chá? E se, nesses mini-micro pedacinhos de tecido, a inteligência fashion dos estilistas consegue inserir vazados, recortes, transparências estratégicas, drapeados e bojos e corsets e estruturas… essa inteligência passa a ser atributo também de quem escolhe usar. Ó que bom: imagem bonita com estória sobre o espírito do tempo – boa de contar vendo as fotos no futuro!

Tags: , , 01.07.2010 - 00:23 | Postado por Fernanda Categorias: moda e consultoria 12 Comentários

PRAIA COR DE PELE E TRANSPARENTE

A gente tá vendo aqui que efeito vazado é a nova transparência, pelo menos pro próximo verão. E roupa de verão – nosso querido biquíni! – já é vazado por natureza… talvez por isso a transparência renegada de outrora (rá!) tenha migrado pros pequeninos pedaços de tecido que a gente usa na praia. O desfile da Adriana Degreas, estreante nas passarelas de SPFW, mostrou um monte de modelos em que a forma, a cor, o drapeado e os recortes dividiam atenção com espaços transparentes, mesmo em mini-calcinhas e mini-sutiãs!

Mais: se depender dos dois desfiles mais legais de moda praia que a gente viu aqui até agora – esse de Adriana e o da Rosa Chá – o verão que vem vai ter uma avalanche de biquínis-lingerie, bem corsetados e com bojos/peitinhos estruturados, tudo em cor de pele. Muito muito chique, perfeito pra começar a temporada de praia com a idéia de ‘nude’ e terminar contrastando por conta do bronzeado. (Que venha o calor!)

Tags: , , , 12.06.2010 - 21:35 | Postado por Fernanda Categorias: moda e consultoria 4 Comentários
Página 1 de 2 | 12